O JOGO DA MEIA-NOITE      

RUI PÉRICLES

 O jogo da meia-noite é um livro muito bem elaborado, daqueles que não se consegue parar de ler. O autor capta muito bem o universo do Halloween e cria uma história juvenil, interessante, cheia de mistério, humor negro e terror.

 A caracterização das personagens também é um dos pontos a salientar, não só do grupo dos jovens como também do Homem da Meia-Noite, uma espécie de Nosferatu de F.W. Murnau.

 A escrita é rápida, simples, apelativa e o autor faz muito bem em arriscar em algumas descrições e situações.

 Nada é o que parece e tal como nos livros da coleção Arrepios de R.L. Stine, Rui Péricles brinda os seus leitores com um tour de force que ninguém está à espera.

 "O Ladrão continuava a observar a sombra, visivelmente nervoso. Voltou a rosnar, um pouco mais alto desta vez. A sombra estava hirta. (...)

 Á luz da lua, vi a sombra mexer-se finalmente. (...)

 Havia uma certa provocação na forma como se deslocava. Algo no seu movimento deliberadamente lento que parecia dizer não vais a lado nenhum... és meu.

 Eu sabia quem era. O que era. O Homem da Meia-Noite.

 Nesse momento, soube que aquilo não era nenhum jogo. Aquilo era real. E a minha vida estava prestes a acabar."

 Este primeiro número da coleção Criptocontos é uma excelente estreia e o mote perfeito para as novas histórias.

 Estão prontos para jogar?

 Francisco Sousa Faria da Silva