Star Wars: Qui-Gon e Obi-Wan

Ryder Windham e Ramón F. Bachs (baseados nas personagens criadas por George Lucas)

 O livro apresenta uma história que narra as aventuras do mestre cavaleiro jedi Qui-Gon Jinn e do seu aprendiz Obi-Wan Kenobi, cinco anos antes dos eventos de A Ameaça Fantasma, primeiro episódio da saga Star Wars. Nestas páginas de banda desenhada ficámos a conhecer um pouco mais o background destes dois protagonistas e da sua relação de professor e aluno.

 Qui-Gin Jinn é um dos meus personagens preferidos no universo de Star Wars, uma das razões que me levaram a procurar este livro. Fiquei fã do personagem quando assisti ao primeiro filme da saga no cinema. Tinha 11 anos de idade e como muitas crianças naquele ano de 1999, vibrei de emoção com o novo Star Wars. O filme era muito rico em efeitos especiais, tinha Anakin Skywalker que, aos 10 anos de idade já pilotava as perigosas Podracers, numa memorável corrida, bem ao estilo do clássico Ben-Hur. Por outro lado o filme tinha também uma jovem e bela rainha pela qual a força do bem estava a lutar, principalmente os dois cavaleiros jedis, Qui-Gon Jinn e Obi-Wan Kenobi, interpretados por Liam Nesson e Ewan McGregor. Outra cena memorável foi o grande duelo entre os jedis e o vilão Darth Maul, nos corredores do palácio de Naboo. Na minha opinião, o melhor duelo da saga de Star Wars.

 Liam Neeson retrata Qui-Gon Jinn como um jedi menos convencional, deveras rebelde mas sempre ciente do código destes cavaleiros e guardiães da paz. É um personagem de fortes convicções e é precisamente assim que o cavaleiro jedi é caracterizado nesta banda desenhada.

 A história tem uma componente moral bem forte, podendo mesmo compará-la a uma fábula, neste caso com um misto de ficção científica e de aventura.

 A principal mensagem deste livro é a de nunca devemos julgar os outros pelas suas aparências nem sermos preconceituosos perante alguém ou algo.

A história é simples, tal e qual o enredo de um filme série B de capa e espada dos anos 40. Jinn e o seu jovem aprendiz Obi-Wan viajam até Ord Mantell, planeta distante e sem-lei, para investigarem o desaparecimento de uma nave que transportava uma carga valiosa. Julga-se que a nave foi desviada para esse estranho lugar onde os jedis são tudo menos bem-vindos.

 A esta premissa junta-se uma misteriosa relação de amor/ ódio entre Qui-Gon e uma figura do seu passado, a excêntrica duquesa Omnino, que é mais do que aquilo que aparenta.

 Kenobi é apresentado ainda mais jovem e inexperiente do que vemos em A Ameaça Fantasma. Contudo, continua a ser o mesmo jovem corajoso, bondoso e leal aos seus princípios. Nesta história está ainda em fase de aprendizagem.

 Os desenhos estão muito bem concessionados, com traços fluídos e bem definidos, cores chamativas e cenários de cortar a respiração a que o universo de Star Wars já nos habituou.

 É acima de tudo uma aventura no seu conceito mais puro, de leitura agradável e simples.

Francisco Sousa Faria da Silva